Gaseificação da biomassa fecal para produção de biocombustível: Estudo da conversão termoquímica e avaliação exergoecológica

Nome: Elias Antonio Dalvi
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 07/12/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ricardo Franci Gonçalves Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Asher Kiperstok Examinador Externo
José Joaquim Conceição Soares Santos Examinador Interno
Julio Augusto Mendes da Silva Examinador Externo
Marcio Ferreira Martins Coorientador
Ricardo Franci Gonçalves Orientador
Sérvio Túlio Alves Cassini Examinador Interno

Resumo: O presente trabalho faz um estudo da biomassa fecal humana como fonte de energia alternativa renovável. O Poder Calorífico médio e o Poder Calorífico em função da ingestão calórica permitiram a determinção do potencial energético dessa biomassa em nível mundial, por continente e país. Uma análise das fezes de outros animais também foi realizada e comparada com as fezes humanas sob o ponto de vista calorífico, utilizando o conceito de Índice de Energia Rejeitada (IER), que é a energia rejeitada por quilode massa corporal, obtendo-se, para o ser humano, o menor dos valores. O uso das fezes humanas em um reator de bancada simulando um gaseificador contra-corrente permitiu obter resultados e conclusões preliminares para aplicação posterior em um gaseificador do tipo cocorrente, com capacidade para20 kW, com teores de umidade variando de 0%, 10% e 20% e diâmetros de partícula de 15, 30 e 50 mm. Foi também realizado um estudo de viabilidade da utilização da tecnologia da gaseificação como um sistema alternativo para o tratamento de esgoto, tomando-se como referência o conceito de exergia por meio de dois parâmetros de referência: eficiência exergética ambiental, definida como a razão da exergia do efeito útil do processo e a exergia total consumida dos insumos utilizados no processo, e o índice exergético de renovabilidade que é a razão entre as exergias dos produtos e a soma das exergias não renováveis e exergias destruídas. Por fim, foi montada uma tabela com os parâmetros eficiência exergética ambiental e índice de renovabilidade encontrados neste trabalho e aqueles determinados por BEJARANO (2009) para outras três tecnologias de tratamento de esgoto: Estação de Tratamento de Esgoto Barueri (Brasil), RAFA-Lagoa Facultativa (Brasil) e Estação de Tratamento de Esgoto Cañavelarejo (Colômbia). Os resultados, embora ilustrativos, indicam que a gaseificação pode se tornar uma etapa bastante vantajosa para utilização em um sistema de tratamento de esgoto.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910